Logo
Ginástica Artística Masculina Ginástica Artística Feminina Ginástica Rítmica Ginástica Aeróbica Esportiva Ginástica de Trampolim Ginástica para Todos Ginástica Acrobática
 
Você está em: Inicial > noticias > exibir.php



 
Maximizar


Diego Hypolito enaltece o momento da ginástica masculina brasileira



19/03/2012

Mesmo sem a vaga olímpica por equipes, ginasta vibra com o crescimento dos homens na modalidade

De longe e agoniado por não poder ajudar a seleção brasileira, foi assim que o ginasta Diego Hypolito acompanhou o desempenho do Brasil no evento-teste de Londres. Apesar do país não ter conseguido a classificação olímpica, o atleta enalteceu a qualidade do grupo brasileiro que, por muito pouco, não alcançou a vaga inédita.

- Foi uma pena, pois quase que os meninos conseguiram a vaga. Inclusive, pela nota que tiveram, poderiam ter conseguido sem mim se não houvesse as quedas, mas ginástica é isso. Não permaneci com o grupo, justamente porque não podia ajudar nas argolas, barra fixa, barras paralelas e cavalo, mas eles foram super bem e foi por detalhe que não aconteceu – explicou o atleta.

Ainda que a seleção verde-amarela não tenha se garantido nos Jogos, o principal nome da modalidade reconheceu que a categoria masculina nunca viveu um momento tão bom quanto este.

- A ginástica masculina só tem a crescer. Sem medo de errar, digo que estamos numa crescente maior que a equipe feminina. As meninas dependem demais das atletas experientes, como minha irmã, a Daiane e a Jade. Já no nosso caso, estão surgindo nomes forte como o Arthur Zanetti e o Sérgio Sasaki. Não há mais aquela dependência de Diego ou Mosiah – ressaltou.

A prova da boa fase vivida pelos homens na modalidade pode ser comprovada com o fato de o Brasil levar, pela primeira vez na história, três ginastas para as Olimpíadas. Além de Hypolito, o país será representado por Zanetti, nas argolas, e ainda contará com mais um atleta no individual geral. Por enquanto, Sasaki é o mais cotado para preencher o último posto, e Diego não se esquivou de opinar sobre o indicado.

- Hoje o Sérgio tem a vaga por tudo que fez nas últimas competições e merece. Confesso que torço para o representante ser do meu clube (Flamengo), mas, de repente, pode ser o Mosiah, por toda a sua bagagem. Além dele, sempre gosto de lembrar do Victor Rosa. Sou fã dele e gostaria de vê-lo nos Jogos também – destacou.

Apesar de toda a experiência e muitas conquistas no currículo, o ginasta destacou o companheiro Arthur Zanetti como um ícone desta renovação do grupo brasileiro.

- É bom ver alguém como o Arthur aparecer. Ele é um atleta merecedor de uma medalha olímpica, por ser muito disciplinado e dedicado em tudo que faz. É legal vê-lo, pois é bem mais novo do que eu e mesmo assim serve de exemplo para mim, pela disciplina e dedicação. Não que eu não seja, mas fortalece ver alguém igual a ele – finalizou.

Fonte: AHE



AABB Tijuca     Giro - Escola de Ginástica de Rio das Ostras     Flamengo
Federação de Ginástica do Estado do Rio de Janeiro ® Política de Privacidade   /   Publicidade   /   Mapa do Site       Contato       Facebook       Youtube
Desenvolvido por MelhorWeb Tecnologia